Conectando Latitudes: Rumo a um futuro digital seguro e eficiente na América Latina

Conectando Latitudes: Rumo a um futuro digital seguro e eficiente na América Latina

 

O dia 17 de maio é o Dia Mundial das Telecomunicações e da Sociedade da Informação, momento propício para refletirmos sobre os avanços e perspectivas dessa área crítica em nossas vidas. Nesta ocasião, é crucial voltar nossa atenção para as dinâmicas e desafios específicos que a América Latina enfrenta no campo das telecomunicações, especialmente em um momento em que a conectividade e a digitalização estão transformando rapidamente nossa sociedade e economia.

Um dos desenvolvimentos mais esperançosos no horizonte para a região é a implementação da tecnologia 5G. Esta próxima geração de redes móveis promete revolucionar a forma como nos conectamos, oferecendo velocidades ultrarrápidas, menor latência e enormes capacidades de conexão. Em vários países da região onde já estão em andamento testes-piloto e implantações limitadas, enquanto em outros já há um número significativo de conexões a essa rede, o 5G tem o potencial de impulsionar a inovação em setores-chave como saúde, educação, manufatura e agricultura, gerando oportunidades econômicas e melhorando a qualidade de vida dos cidadãos.

No entanto, avançar para um ecossistema 5G bem-sucedido e seguro requer uma abordagem abrangente que inclua não apenas a expansão da infraestrutura de rede, mas também a implementação de medidas robustas de segurança cibernética e proteção de dados. A grande maioria dos países latino-americanos avançou em iniciativas focadas em redefinir e atualizar conceitualmente suas regulamentações sobre a proteção de dados pessoais.

A interconexão de um número crescente de dispositivos e sistemas na era da Internet das Coisas (IoT) impõe novos desafios em termos de privacidade e cibersegurança. Portanto, é fundamental que governos e empresas trabalhem juntos para estabelecer padrões e regulamentos claros que protejam a integridade das redes e a confidencialidade das informações pessoais.

Além do 5G, outro elemento-chave que está moldando o cenário das telecomunicações na região é a inteligência artificial (IA). De assistentes virtuais a análise preditiva e automação de processos, a IA está transformando a maneira como interagimos com a tecnologia e como as empresas operam. Na América Latina, a adoção de soluções de IA está em alta, especialmente em setores como comércio eletrônico, saúde e serviços financeiros. No entanto, as lacunas de habilidades precisam ser abordadas e a inclusão digital promovida para garantir que todos os segmentos da sociedade possam se beneficiar das oportunidades oferecidas por essa tecnologia.

Em última análise, o sucesso da transformação digital na América Latina dependerá em grande medida da colaboração entre diferentes atores: governos, empresas, sociedade civil e acadêmica. É fundamental que sejam estabelecidas políticas e programas que incentivem o investimento em infraestrutura, a inovação tecnológica e o desenvolvimento de talentos humanos. Ao mesmo tempo, temos de assegurar que este progresso seja feito de forma ética e responsável, protegendo os direitos individuais e promovendo a inclusão e a equidade.

Neste Dia Mundial das Telecomunicações, celebremos o progresso alcançado até agora e renovemos nosso compromisso com a construção de um futuro digital seguro, inclusivo e próspero para todos na América Latina. É um momento emocionante para nos mantermos conectados e testemunharmos como a tecnologia continua a transformar nossas vidas e criando oportunidades de desenvolvimento e progresso. Vamos seguir em frente com determinação e visão para um amanhã onde a conectividade seja verdadeiramente universal e benéfica para todos.

 

Autor:
Leonardo Barbero
Presidente, Unidade de Negócios de Fibra
Cirion Technologies

O que são as redes quânticas e o quanto estão próximas de transformar os negócios?

O que são as redes quânticas e o quanto estão próximas de transformar os negócios?

A tecnologia, destacada como uma das mais promissoras para os próximos anos, reflete a nova fronteira da conectividade corporativa.

Em um mundo cada vez mais interconectado, as tecnologias emergentes assumiram a dianteira na configuração do futuro corporativo.  Dentro desta revolução tecnológica, um termo vem capturando a atenção tanto de especialistas quanto de líderes empresariais: as redes quânticas, ou “quantum networking”.  Essencialmente, essas redes representam uma nova fronteira na transmissão de informação, aproveitando os princípios da mecânica quântica para revolucionar a conectividade corporativa.  Destacadas no relatório “Hype Cycle for Enterprise Networking 2023”, da Gartner, é importante pausar um instante e entender sua abrangência.

As redes quânticas, em termos simples, implicam a transmissão de informações entre dispositivos conectados, utilizando propriedades únicas de partículas subatômicas para armazenar e transferir dados.  Através da sobreposição e entrelaçamento de partículas, estabelece-se uma conexão altamente segura e eficiente, capaz de superar as limitações das redes clássicas.

Essas redes são utilizadas em diversas aplicações corporativas, desde a criptografia quântica, que garante uma segurança robusta na transmissão de dados confidenciais, até a computação quântica distribuída, que permite às empresas realizar cálculos complexos de forma mais eficiente e rápida do que nunca.  Além disto, as redes quânticas têm o potencial de transformar setores como a logística, o atendimento de saúde e a pesquisa científica, fornecendo comunicação e análise de dados mais precisas e rápidas.

Benefícios para o negócio e o panorama corporativo

A integração das redes quânticas nas operações corporativas pode implicar uma série de benefícios significativos.  Em primeiro lugar, uma segurança melhor garante a proteção de dados sensíveis, o que é fundamental em um mundo onde a privacidade e a proteção da informação se tornaram essenciais.  Ao fornecer uma camada adicional de segurança através da criptografia quântica, as redes quânticas podem proteger as empresas contra as ameaças cibernéticas avançadas e os ataques maliciosos.

 Adicionalmente, a capacidade de realizar cálculos complexos de forma mais eficiente pode aumentar a produtividade e a inovação em diversos setores.  As empresas podem realizar análises de dados avançadas mais rapidamente, o que permite que tomem decisões informadas em tempo real e se adaptem logo às condições dinâmicas do mercado.  Estas agilidade e capacidade de resposta podem ser a chave para manter-se competitivo em um ambiente corporativo dinâmico e em constante evolução. 

Olhando para o futuro

As redes quânticas ainda estão em uma etapa incipiente de adoção generalizada.  Mas, não resta dúvida: representam uma evolução crucial na infraestrutura corporativa, oferecendo uma combinação única de segurança aprimorada e capacidades avançadas de processamento.  Segundo a análise de mercado realizada pela Gartner, a promessa é concreta e devemos testemunhar o momento de plenitude desta tecnologia nos próximos 10 anos, prazo que, em termos de tecnologia e negócios, representa apenas um piscar de olhos.  

Com prazo limitado! A Cirion lhe oferece a oportunidade de acessar o exclusivo Relatório “Hype Cycle for Enterprise Networking 2023” da Gartner, clicando aqui. 

Michael Lawson

Autor:
Alejandro Girardotti
Diretor Sênior de Produto, Inovação & Parcerias Estratégicas
Cirion Technologies

CDN: a chave para o aumento de streaming na Venezuela e América Latina.

CDN: a chave para o aumento de streaming na Venezuela e América Latina.

A CDN, rede de distribuição de conteúdos, é responsável por 71% do tráfego de conteúdo online

A demanda de internet nas residências cresceu exponencialmente nos últimos anos. Uma dos motivos que fizeram este crescimento se acelerar foi a pandemia, dado que ocorreram mudanças de rotina importantes no trabalho e na educação, através do teletrabalho, por exemplo, que propiciou o consumo elevado de entretenimento. Neste contexto, as redes sociais e serviços de streaming de vídeo em plataformas são as que apresentam maior crescimento na Venezuela e em toda a região.

A acessibilidade e a comodidade oferecidos por plataformas como Netflix, HBO, Amazon Prime, Disney ou Fox Play, fizeram com que cada vez mais pessoas optassem por esta forma de entretenimento, que oferece um catálogo de programação para todos os públicos e que podem ser acessados de qualquer dispositivo com acesso à Internet.  No caso do streaming, o CDN desempenha um papel fundamental para garantir uma experiência de visualização fluida, sem interrupções, e que suporte números de consumo alto.  Quando um usuário solicita conteúdo através de uma plataforma de streaming, o CDN busca o servidor mais próximo ao usuário e entrega o conteúdo a partir dali, trazendo grandes benefícios.

Lembremos que uma Content Delivery Network (CDN) ou Rede de Distribuição de Conteúdo, é um conjunto de servidores distribuídos geograficamente que trabalham alinhados inteligentemente para oferecer entrega de conteúdo de internet de forma rápida e segura.  Esta rede permite uma transmissão mais ágil e otimizada dos dados necessários para carregar conteúdo online, o que inclui vídeos, imagens, páginas HTML ou arquivos JavaScript.  Hoje em dia, a maior parte do tráfego de streaming é distribuída por CDN – cerca de 71% do fluxo no ano de 2021, segundo um estudo da Cisco.

A seguir apresentamos algumas vantagens do CDN para o usuário e provedores de streaming:

  1. Melhora a velocidade do carregamento de conteúdo A CDN distribui o conteúdo através de diferentes servidores, o que permite que os usuários acessem o conteúdo mais rapidamente.
  2. Reduz a latência: Com servidores mais próximos dos usuários, a CDN reduz a latência e evita problemas de buffering ou de lentidão no carregamento.
  3. Melhora a qualidade da transmissão: A CDN pode ajustar automaticamente a qualidade da transmissão de acordo com a velocidade de conexão do usuário, o que garante uma experiência de visualização sem interrupções.
  4. Reduz os custos operacionais: Ao distribuir a carga de tráfego através de servidores diferentes, a CDN reduz os custos de largura de banda para as plataformas de streaming, reduzindo a carga em qualquer servidor individual.
  5. Permite uma escalabilidade maior: O CDN permite que as plataformas de streaming possam administrar grandes quantidades de tráfego sem afetar a qualidade do serviço.

As pessoas estão passando mais tempo conectadas à internet, não só na América Latina, mas também em nível mundial, aproveitando diferentes conteúdos como vídeo, reprodução de música, jogos, compras online, notícias, etc. Isto faz com que os serviços de CDN sejam essenciais na hora de lidar com a demanda cada vez maior e a globalização das plataformas online.

A CDN da Cirion Technologies é uma solução que opera através da internet e otimiza seus recursos para alcançar uma massificação de dados ao redor do mundo de forma confiável.  Esta tecnologia ajuda os criadores de conteúdo a manter a estabilidade de seu serviço com conexões internacionais, garantindo assim uma boa experiência de usuário, mais rápida e confiável.

Autor: 

Wilmer Puerta
Senior Product Manager Connectivity & Content
Cirion Technologies, para Equador e Venezuela

Infraestrutura de Redes: navio luxuoso ou canoa furada?

Infraestrutura de Redes: navio luxuoso ou canoa furada?

A infraestrutura de redes de dados é parte essencial dos negócios modernos. É a base usada para aquisição, armazenamento e processamento da informação de forma rápida e eficiente, possibilitando produtividade e competitividade em um cenário onde o digital é mandatório.

Com raríssimas exceções, não existe hoje um modelo de negócios capaz de se sustentar sem o digital. Para a comodidade dos usuários – e a insônia das equipes de TI – , dados financeiros de clientes, colaboradores, operação… tudo está codificado em bits e bytes, que são armazenados em servidores, notebooks, celulares, ou espalhados na nuvem.

Sua infraestrutura é confiável?

A infraestrutura de redes é o barco que as empresas têm para navegar neste oceano de informações e conexões. Podem ser barcos caros e complexo, ou canoas furadas. Para saber em qual a sua empresa está embarcando é preciso estar atento a alguns sinais:

  • Desempenho: A performance das equipes de trabalho está diretamente relacionada com a da infraestrutura de comunicação. Eu explico: se, na sua empresa, há videoconferências, nas quais metade dos participantes não consegue se conectar e a outra metade passa a maior parte do tempo repetindo frases picotadas ou os relatórios estão atrasados porque as tabelas estavam muito pesadas para baixar, sem falar em clientes abandonando o site por lentidão, a falta de infraestrutura de rede pode estar impedindo o sucesso dos negócios.
  • Segurança: Já patchs de atualização não aplicados, equipamentos descontinuados e sem suporte são alguns exemplos de potenciais brechas de segurança exploradas por hackers dispostos a aplicar um golpe ou ativar um Ramsonware em sua rede.
  • Governança: A deficiência de estrutura ainda pode se refletir na governança, com documentação incompleta ou insuficiente, falta de visibilidade dos equipamentos. Até a necessidade de viagens de profissionais para qualquer manutenção em unidades remotas podem ser um problema, pois significam que as tecnologias de redes implementadas já não são tão modernas.

Como recuperar o desempenho de minha rede?

Se estes cenários estão entre suas preocupações, talvez já tenha passado a hora de atualizar sua infraestrutura e aplicar SD-WAN em sua rede. A tecnologia, que significa Software Defined Wide Area Network, é uma solução poderosa para melhorar performance da infraestrutura de empresas de todos os tamanhos. O SD-WAN é uma arquitetura que aplica uma camada de software para controlar e gerenciar a rede de dados. Por este motivo simplifica as coisas para TI e para os usuários, permitindo:

Flexibilidade: O SD-WAN permite conectar e gerenciar à distância localidades com links de diferentes fornecedores ou tecnologias. Isso significa menos viagens, mais agilidade e menores custos de manutenção. Pontos suficientes para já vermos o CFO satisfeito e confiante com as escolhas da equipe de TI.

Desempenho: O SD-WAN ajuda a gerenciar melhor o tráfego de dados, aumentando o desempenho da rede e de sua equipe como um todo. E vale lembrar sempre que usuários satisfeitos resultam em sono de qualidade para as equipes de suporte.

Segurança: A tecnologia adiciona camadas extras de segurança implementada por software, como criptografia e filtros de tráfego, além de ajudar a manter melhor documentação e visualização da rede e equipamentos ativos. Todos, pontos que garantem menos dor de cabeça e fins de semana mais tranquilos para a equipe de TI e os líderes do negócio.

 Então é só ativar o software?

SD-WAN pode ser um importante aliado para as equipes de infraestrutura, mas isso tem seu preço. É uma tecnologia que demanda profissionais qualificados e especializados para obter o máximo desempenho. Os principais pontos de atenção são:

  • Planejamento: Identificar os principais requisitos de negócios que a rede deverá suportar e dimensionar equipamentos e enlaces para satisfazer estas demandas.
  • Seleção da Tecnologia: SD-WAN é um nome genérico sob o qual muitos fabricantes e fornecedores desenvolvem suas soluções. Existem produtos que se adaptam melhor a cenários de baixo custo, outros a condições específicas de segurança e até aqueles que se desdobram em milhares de funcionalidades, mas cobram o preço pela complexidade de sua gestão. Saber identificar qual o melhor custo-benefício para seu negócio exige conhecer a fundo os fabricantes disponíveis e seus detalhes. Para algumas equipes, este é um desafio enorme, porque demanda tempo e dedicação de um pessoal que já está afogado com o dia a dia das operações.
  • Implementação: Executar bem esta etapa vai trazer benefícios a longo prazo. Aqui, conhecimento e experiência são a chave para fazer as melhores configurações já antevendo como será o dia a dia da operação.
  • Operação e Suporte: Embora o SD-WAN faça boa parte do trabalho de operação da rede, a supervisão por parte de profissionais preparados e atualizados com a tecnologia é essencial para manter a segurança e desempenho ao longo da vida útil da rede.

Na etapa de operação, eventualmente a demanda pode crescer além do planejado e exigir a troca de equipamentos por atingir seu pico de performance. Para evitar isso, há uma difícil decisão na etapa de planejamento: adquirir equipamentos superdimensionados para as necessidades atuais ou correr o risco dos custos futuros de atualização, se for necessário.

SD-WAN as a Service

SD-WAN é uma tecnologia que já está há algum tempo no mercado. Assim, no início, muitos consideraram que a camada de Software seria capaz de resolver as principais dificuldade na operação, e acabaram descobrindo que isto está longe de ser realidade. Para extrair o máximo do SD-WAN, uma possibilidade é colocar, acima da camada de software, o serviço.

No mercado, existe a oferta de SD-WAN as a Service. Isto inclui no pacote o conhecimento e suporte de profissionais qualificados e a segurança de que eventuais atualizações de performance não impliquem em vultosos investimentos por troca de hardware, causando a perda do que foi inicialmente instalado.

Assim, soluções de SD-WAN como serviços aliam os benefícios da tecnologia com a solução financeira que pode permitir a atualização de infraestruturas que já estão no caminho da obsolescência. Práticas e seguras, seja para grandes negócios que demandam agilidade e capacidade de crescimento, ou para menores empresas, que, infelizmente, têm dificuldade de acesso a profissionais e informações para a escolha dos equipamentos ideais para suas realidades.

Michael Lawson
Sobre o Autor:
Yuri Menck
Marketing Manager
Cirion, Brasil

É formado em Engenharia Industrial Elétrica (UTFPR), com Pós em Gestão de TI (Unicenp) e MBA em Gestão Executiva (Insper/SP). Sempre atuou no mercado de tecnologia da informação e telecomunicações. Na empresa desde 2000, ocupou posições em áreas técnicas e de produtos e, desde 2008, lidera a equipe de Marketing Estratégico e Comunicações no Brasil.

SD-WAN: uma forma rentável de proteger sua rede remota

SD-WAN: uma forma rentável de proteger sua rede remota

Espera-se que o mercado de SD-WAN atinja US$ 30,9 bilhões até 2030[1] 

 A transformação digital é a utilização e integração de novas tecnologias nos processos de uma empresa, permitindo que esta possa responder às mudanças a seu redor e se adaptar às novas necessidades dos clientes e de uma força de trabalho com habilidades digitais, além de gerar novos modelos de negócios e estruturas corporativas. 

Entre essas tecnologias transformadoras estão as redes de longa distância definidas por software (SD-WAN na sigla em inglês), que cresceram a passos largos ao longo dos últimos anos. Uma prova disso é que se espera que este mercado atinja US$ 30,9 bilhões até 2030.  A rede sobreposta baseada em software melhora a gestão, a funcionalidade e a segurança.  No entanto, existem vários mitos enganosos que distorceram as capacidades da SD-WAN e sua função dentro de uma estratégia de rede robusta e flexível, evitando que as empresas aproveitem todo o seu potencial.  Por isto, é importante esclarecer esses mitos e conceder à SD-WAN seu devido lugar. 

Comecemos destacando que, apesar de a SD-WAN agregar valor de diversas formas, não se pode ignorar a rede subjacente.  Pense nesta última como se fosse uma estrada por onde circula o tráfego de seus dados, enquanto a SD-WAN é o sistema de gestão do tráfego. Independentemente da quantidade de pistas exclusivas, desvios e análises de tráfego e do roteamento em tempo real oferecido pela SD-WAN, uma estrada congestionada e cheia de buracos continuará causando uma jornada lenta e sacolejante.  Este exemplo servirá para esclarecer as idéias expostas a seguir. 

Foquemos nas bases 

De forma simple e sendo realistas, a SD-WAN tem a capacidade de utilizar seus links da forma mais eficiente possível, definindo o direcionamento por aplicação e escolhendo a WAN que melhor se ajuste a ela.  No entanto, não consegue solucionar uma conexão ruim à internet, pois se trata de uma sobreposição, o que significa que se apoia na rede subjacente, seja ela MPLS, banda larga, internet ou uma combinação destas, para gerenciar as regras de roteamento, lidar com cenários de falha e priorizar o tráfego.  Considerando que a experiência do usuário final depende da qualidade da rede subjacente, nenhuma solução de gestão de tráfego “inteligente” consegue consertar uma rota ruim. 

Nem todas as conexões à internet são iguais 

Há uma diferença fundamental entre a banda larga proporcionada por cabo e um serviço de acesso à internet dedicado, fornecido por fibra.  Voltando à analogia do tráfego, imagine a banda larga por cabo como uma autoestrada pública.  É um serviço compartilhado onde os usuários competem entre si pela largura de banda disponível, na mesma infraestrutura local.  Além disto, a Internet fornecida por cabo e outros serviços de banda larga mais antigos são geralmente assimétricos, o que significa que há menos largura de banda ascendente do que descendente.  Em uma era de VoIP, UCaaS e outras ofertas de SaaS hospedada, que dependem de uma largura de banda de internet confiável (em ambas as direções), isto torna-se mais importante do que nunca. 

Tudo na rede troncal (backbone) 

Além das diferenças de acesso, como cabo versus fibra dedicada, o backbone do seu ISP e a extensão das interconexões com outras redes (também conhecidas como peering) afetarão a experiência do usuário final. 

A segurança como imperativo 

A segurança é uma consideração importante quando se trata de implementar uma solução SD-WAN. À medida que acrescentamos equipamentos à uma rede, o controle fica mais difícil, a visibilidade é perdida e a superfície de ataque ampliada. Secure SD-WAN nos permite melhorar e acrescentar à uma rede SD-WAN funcionalidades como: 

  • Integração de autenticação e autorização para controlar o acesso à rede.
  • Utilização de túneis codificados para proteger o tráfego de rede atravessando a Internet.
  • Funcionalidades de firewall de próxima geração (NG-FW) nos CPE.
  • Segmentação de rede para limitar a abrangência de qualquer violação de segurança.
  • Integração de soluções de detecção e resposta de endpoints (EDR) para proteger os dispositivos finais, como também o acesso à rede de confiança zero (ZTNA, na sigla em inglês).
  • Segurança na LAN: permite integrar a visibilidade da LAN (Switches, APs) para controlar o acesso dos equipamentos e usuários e transformar um ponto Secure SD-WAN em Secure SD-BRANCH.

Espaço para dimensionar 

As implementações de SD-WAN realizadas pelos integradores de sistemas, isto é, “faça-o você mesmo” (DIY, na sigla em inglês), frequentemente combinam vários tipos de Internet, fornecidos por diversos provedores de serviços. No entanto, à medida que as redes aumentam a quantidade de sites, podem surgir problemas com a variedade de Acordos de Nível de Serviço (SLAs) e as flutuações de desempenho em vários locais. 

As empresas estão se voltando às soluções SD-WAN gerenciadas por diversos motivos e uma pesquisa da Frost & Sullivan demonstrou que as organizações dependem dos provedores de serviços para: 

  • Juntar e administrar diversos provedores de rede (75%)
  • Centralizar as comunicações para todos os provedores (73%)
  • Gerenciar todos os aspectos da rede, incluindo voz, dados, acesso e segurança (71%)
  • Aproveitar a flexibilidade de comprar e pagar pelo serviço através de um modelo de faturamento por assinatura (71%)
  • Acelerar a tomada de decisões, pois os fornecedores gerenciados já validaram os fornecedores de SD-WAN (67%)

À medida que as empresas implementam novas aplicações de negócios críticas em todas as filiais, de Internet das Coisas a analítica na nuvem, precisam de acesso a opções de rede flexíveis, seguras e rentáveis.  Cada vez mais, as empresas escolhem os serviços gerenciados de SD-WAN para ajudá-las a otimizar as implementações, permitir que tomem as decisões mais adequadas às suas necessidades específicas e agilizar o tempo de criação de valor. 

Resumindo, a rede SD-WAN permite que o tráfego seja enviado automaticamente através da rota mais adequada da WAN, respeitando as condições de segurança, o custo dos circuitos e as exigências de qualidade dos serviços.  Seus benefícios permitem que as empresas se ajustem para se adaptar às crescentes demandas de um mundo digital em constante evolução.

[1] PS Market Research

Michael Lawson

Autor:
Javier Colucci
Gerente Regional de Produtos SD-WAN e Cloud Connectivity
Cirion Technologies

Gamificação no trabalho: transformar a rotina em um desafio divertido

Gamificação no trabalho: transformar a rotina em um desafio divertido

A transformação digital que o mundo está vivendo trouxe alguns desafios às empresas, especialmente levando-se em conta que são as novas gerações de nativos digitais que estão entrando no ambiente de trabalho das corporações. A geração Z, junto com os millennials, hoje representa 80% da força de trabalho presente em diferentes áreas e é o grupo que está redefinindo as tendências de consumo e contratação, já que sua identidade virtual está totalmente entrelaçada à sua vida cotidiana e isto se aplica à forma de trabalhar, comprar e se socializar.

Por isto, as empresas precisam renovar e melhorar os padrões de trabalho enquanto mantêm suas equipes motivadas e focadas em conquistar os objetivos. Surge então a Gamificação, uma nova tendência relacionada a incluir elementos alusivos aos jogos ou videogames nos espaços de trabalho – recurso muito útil quando a motivação e o comportamento são componentes essenciais para o sucesso.

Com as estratégias de Gamificação, podemos fomentar e melhorar a satisfação dos funcionários e conseguimos ter uma cultura melhor no local de trabalho. De acordo com um relatório recente da Qualtrics e da ServiceNow, durante a pandemia, 3 em cada 5 agentes de call center informaram que os clientes estavam se tornando mais grosseiros e agressivos. Como consequência, a cada semana, 1 em cada 5 pensou em pedir demissão. Isto não é sustentável para ninguém, nem para negócio algum, e é mais difícil resolvê-lo se os colaboradores estão trabalhando em casa/virtualmente.

Com o foco disruptivo da Gamificação, os colaboradores são desafiados em suas tarefas diárias através de uma série de experiências de jogo interativas, com o objetivo de aumentar a motivação, melhorar as habilidades e otimizar o desempenho. As pessoas se transformam em jogadores, premiados por seu progresso e conquistas, em um ambiente de trabalho atraente e divertido, enquanto cumprem com os objetivos de sua empresa.

Desta forma, a Gamificação leva a uma experiência de cliente melhor e à entrega de um valor de trabalho melhorado, já que aumenta a motivação, a retenção dos colaboradores, acelera o processo de formação dos colaboradores e promove a concorrência positiva e a lealdade do pessoal na empresa. Ao implementar estas estratégias, os colaboradores – e consequentemente, a empresa – são beneficiados, pois conseguem alcançar os objetivos e melhorar o desempenho, obtendo uma melhor experiência de trabalho.

Michael Lawson

Autor:
Fernando Riedel
Especialista de Produto de Voz e Colaboração
Cirion Technologies